Ultimate magazine theme for WordPress.

Feira de Astronomia Infantil: o Sistema Solar

Trabalhe o sistema solar na escola através de uma feira de astronomia infantil. Veja como fazer um sistema solar colorido e outras atividades infantis.

Novembro é mês de celebrar o Dia da Ciência e Cultura, no dia 5, em homenagem ao nascimento de Rui Barbosa, renomado jurista, político e jornalista.

O estudo de Ciências desde a Educação Infantil é importante, pois é, nesse momento, que elas constroem suas primeiras sensações e impressões. Suas experiências e observações são ocasionais, respondendo à sua curiosidade dentro de sua capacidade de compreensão, tornando-as mais participativas, reflexivas e transformadoras da realidade.

Essa disciplina contribui, também, para o desenvolvimento de outras áreas, como a linguagem, matemática, física, biologia, química, história, geografia e antropologia.

O despertar da criança para essa área do conhecimento pode ser feito de diversas formas, mas o aguçar da curiosidade deve estar sempre presente para que elas tenham o interesse de aprender sempre mais.

Por isso, a ideia é celebrar o Dia da Ciência e Cultura organizando uma criativa feira com o tema Astronomia, em que experiências sobre campo magnético e uma pequena parcela do Universo, como o Sistema Solar, possam ser exploradas.

Para as crianças, aprender sobre os planetas costuma ser algo instigante e divertido, ainda mais quando esse conhecimento vem atrelado a produções artísticas.

Objetivos:

  • Incentivar a curiosidade científica, de forma lúdica e interativa;
  • Contribuir e enriquecer as experiências dentro do contexto escolar para a formação
    integral da criança;
  • Adquirir o gosto pelas pesquisas e descobertas;
  • Ampliar conhecimentos e habilidades de observar, especular, formular, experimentar, analisar, classificar e chegar a conclusões.

Faixa etária: a partir de 4 anos.

Preparando a Feira de Astronomia infantil

Primeiro momento

1. Converse com as crianças sobre o tema a ser abordado na Feira de Astronomia e exponha os trabalhos que serão desenvolvidos.

2. Explique sobre a importância da Ciência para a compreensão de diferentes áreas do saber. Mostre, aos alunos, que diferentes temas poderiam ser abordados. No entanto, é importante que a Feira tenha um foco e que o estudo do Sistema Solar é um tema interessante para todos.

3. Fale sobre a astronomia e que, por meio dela, foi possível afirmar que existem cerca de 100 bilhões de galáxias no universo. E que todo o Sistema Solar, incluindo a Terra, está localizado dentro de uma galáxia chamada Via Láctea.

4. Fale sobre os planetas, sobre os astros que não tem luz própria. Eles recebem luz e calor das estrelas. Explique que o sol ilumina e aquece a Terra e, ao redor dele, giram oito planetas, mais um ‘anão’ (Plutão), compondo o sistema solar: Terra, Vênus, Mercúrio, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno.

Segundo momento

5. Fale com as crianças sobre campo magnético. Todos os planetas e estrelas têm um campo magnético que os envolvem. O da Terra, que tem origem interna, é bem semelhante ao produzido por uma barra imantada.
6. Proponha aos alunos que façam ilustrações a respeito do universo. Utilize, ainda, outros recursos como recortes e colagens e, para as crianças do EF, solicite que elaborem legendas para as ilustrações.

7. Com sua orientação, permita que as crianças organizem, observem, pesquisem, investiguem e apresentem a conclusão de cada experimento.

Terceiro momento

8. Com as crianças, monte o Sistema Solar em isopor, ensinado pela arte-educadora Rosa Maria Rodrigues.

Quarto momento

9. Marque a data para as exposições dos trabalhos confeccionados e da mostra de experiências aprendidas em sala de aula. Convide as famílias e todo a comunidade escolar para que participem desta criativa Feira de Astronomia Infantil.

Dica esperta!
Explique às crianças sobre a importância da Astronomia, uma das ciências mais antigas e que tanto contribui para o avanço da humanidade, responsável pelo estudo dos corpos e fenômenos celestes.

A astronomia existe desde as primeiras civilizações. Na antiguidade, os povos, na tentativa de desvendar os mistérios do espaço, sonhavam em explorar o universo, observando as estrelas, cometas e planetas.

Experiências científicas sugeridas para exemplificar o campo magnético

O campo magnético da Terra tem origem interna e é bem semelhante ao produzido por uma barra imantada. Todos os planetas e estrelas têm um campo magnético e podemos visualizá-lo com uma bússola.

O ponteiro desse instrumento sempre se alinha na direção das linhas magnéticas do nosso planeta. Mas também podemos fazer algumas experiências para elucidar ainda mais esse exemplo. Elas são simples e requerem poucos materiais:

Experiência 1sistema solar experiencia cientifica barra imantada corpo magnetico

Materiais:

  • 1 ímã forte
  • 1 pequena porção de limalha de ferro (facilmente encontrada em oficinas mecânicas)
  • 1 folha de acetato
  • 1 quantidade pequena de melaço ou qualquer outro produto semelhante

1. Misture o melaço com a limalha de ferro, obtendo uma substância grudenta.
2. Coloque essa substância sobre a folha de acetato.
3. Em seguida, posicione o ímã sob a folha e faça movimentos circulares.
4. Observe que a limalha atraída pela força do ímã ou seu campo magnético se desloca, formando pontinhos que se parecem com pequenas montanhas.
5. A estrutura tridimensional obtida é produzida pelo campo magnético que também age sobre os planetas.

Experiência 2

sistema solar experiencia cientifica barra imantada corpo magnetico

Materiais:

  • 1 porção de limalha de ferro (facilmente encontrada em oficinas mecânicas)
  • 1 copo de glicerina ou parafina líquida
  • 1 recipiente de vidro transparente
  • 1 pedaço de linha de aproximadamente 25 cm

1. Misture a limalha de ferro com a glicerina ou parafina líquida, dentro do recipiente de vidro
transparente.
2. Amarre o ímã com o pedaço de linha.
3. Posicione o apetrecho sobre o recipiente e vá movendo o pêndulo improvisado.
4. Observe que dentro do recipiente também ocorre um deslocamento. A limalha de ferro atraída
pela força do ímã emerge do líquido e se sobrepõe a ele, formando uma espécie de vestimenta que representa o campo magnético.

maquete sistema solar
maquete sistema solar

Criando uma maquete do Sistema Solar

Materiais:

  • Bolas de isopor
    – 1 bola de isopor de 150 mm (SOL)
    – 2 bolas de isopor de 100 mm (JÚPITER, SATURNO)
    – 2 bolas de isopor de 75 mm (URANO, NETUNO)
    – 2 bolas de isopor de 50 mm (TERRA, VÊNUS)
    – 2 bolas de isopor de 35 mm (MARTE, MERCÚRIO)
    – 1 bola de isopor de 25 mm (PLUTÃO)
  • Palitos de churrasco
  • Tinta guache
  • Pratinho para vaso
  • Pincel
  • Cola quente
  • Retalho de E.V.A.
  • Risco

1. Introduza o palito na bola e retire formando um orifício.

2. Passe cola quente na ponta do palito e introduza-o novamente no orifício para fixá-lo. Faça isso com todas as bolas, menos a maior, o Sol. Pinte as bolas e os palitos. Deixe secar.

3. Com a cola quente, fixe metade da bola maior no pratinho.

4. Encaixe a outra metade da bola e fixe nela as outras bolas usando um palito. Fixe os palitos com a cola quente

5. No E.V.A., corte o anel de Saturno.

como fazer maquete sistema solar
como fazer maquete sistema solar

IMPORTANTE:

O professor deve passar todos esses conceitos, mas sem a pretensão de fazer os pequenos compreenderem tudo de imediato. “A observação constante do céu, ao longo de toda a escolaridade, e a participação em atividades lúdicas e enigmáticas sobre o universo ajudam as crianças a incorporar esses conhecimentos durante a vida”, afirma Rodolfo Langhi, pesquisador da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

1. Rotação da Terra

  • O que é?
    É o giro que ela dá em torno si mesma, com duração de 23 horas, 56 minutos e 4,09 segundos.
    O que provoca?
    Em função desse movimento foram definidos segundo, minutos e hora. Ele explica também o dia e a noite.
    Equívocos:
    O nascer do Sol
    É senso comum que o Sol nasce todas as manhãs e se esconde no final do dia. Na verdade, é a Terra que faz sua rotação. À noite, o Sol está iluminando outra face do planeta. Para os alunos perceberem isso, espete um palito ou um alfinete em qualquer lugar da bolinha de isopor que representa o planeta na maquete e faça a Terra girar em torno dela mesma.
    Céu estrelado, até de dia
    Nós só vemos as estrelas à noite, mas isso não significa que elas não estejam no céu durante o dia. Acontece que a intensidade da luz do Sol apaga o brilho das outras estrelas e dos planetas, que refletem a luz solar.

2. Translação da Terra

  • O que é?
    É a volta que o planeta dá em torno do Sol, com duração de 365,25 dias. Por convenção, decidiu-se juntar essas frações de dia que sobram todo ano e a cada quatro, no ano bissexto, acrescentar um dia ao mês de fevereiro.
    O que provoca?
    O movimento define o ano e a visualização de céu com diferentes configurações de estrelas.
    Equívocos

Estações do ano

É comum ouvir que o verão ocorre porque a Terra está mais próxima do Sol e o inverno, ao contrário, quando está mais distante. Está errado. A órbita da Terra é quase circular não elíptica como aparece em ilustrações. Por isso ela pouco se afasta do Sol. O seu eixo (linha imaginária que une os pólos) é inclinado (veja ilustração). Isso faz com que o hemisfério sul receba mais energia do Sol durante um semestre e o norte no outro. Os raios solares chegam ao planeta com diferentes inclinações durante o ano. O dia em que um hemisfério recebe o maior ou o menor tempo de insolação é chamado de solstício de verão ou de inverno, respectivamente. O dia em que os hemisférios recebem o mesmo tempo de luminosidade é chamado de equinócio (de primavera ou de outono).

Quatro estações?
Quem mora próximo à linha do Equador nossas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste estranha muito essa história de quatro estações. Para essas pessoas, existem somente duas: o inverno (nem é porque faz frio, mas por chover muito) e o verão (época de estiagem). Primavera e outono, só de ouvir falar! Próximo à linha do Equador, os raios solares têm as menores inclinações. A duração das noites e dos períodos claros do dia são equivalentes. Portanto, não existe durante o ano grande alteração na posição em relação ao Sol. Por isso, nessas regiões não há tanta variação climática. O que já não acontece nas áreas que ficam acima do trópico de Câncer e abaixo do trópico de Capricórnio, onde as quatro estações são melhor demarcadas.

Meio-dia sem sombra?
Outro senso comum é que o verão se caracteriza por, ao meio-dia, o Sol estar tão a pino que nossa sombra some debaixo dos pés. Na verdade, pelo mesmo motivo anterior, isso só acontece nas regiões entre os trópicos, e apenas em dois dias do ano. Apesar de boa parte de nosso território estar localizada nessa região, o conceito errado pode confundir quem habita a região Sul…

3. Revolução da Lua

O que é?
É a volta que a Lua dá em torno da Terra, com duração de 29 dias, 12 horas, 44 minutos e 2,9 segundos.

O que provoca?
É esse movimento em torno da Terra e em relação aos raios solares que define as fases da lua. A partir delas, os povos antigos marcaram as semanas e o mês. A revolução de nosso satélite é responsável, junto com o Sol, pelo sobe-e-desce das marés. E também pelas lindas noites de Lua cheia.

Equívoco – Onde está a Lua nova?
Bem ali, diante de nossos olhos. Mas a parte que seria visível não está iluminada pelo Sol, pois os dois astros encontram-se praticamente no mesmo ângulo de visão em relação à Terra. As outras fases (crescente, cheia e minguante) são resultados da nossa visão da Lua iluminada pelo Sol em diferentes ângulos.

simuladores virtuais do universo Feira de Astronomia Infantil: o Sistema Solar

Simuladores Virtuais do Universo

Aproveitando que muitas crianças já andam equipadas com celulares e smartphones de última geração, fale com eles sobre alguns aplicativos que permitem visualizar melhor o universo e conhecê-lo. Depois, peça para desenharem ou escreverem a experiência que tiveram ao utilizar estes aplicativos em casa.

Se a escola tiver laboratório de informática pode mostrar aos alunos o sistema solar de forma virtual, ou seja, através de simuladores virtuais do Universo.

Veja alguns sites de simuladores do universo gratuitos e ótimos:

Você sabia?

A Astronomia é uma ciência que estuda a origem, a evolução, a composição, as distâncias e os movimentos dos corpos celestes, apresentando caráter multidisciplinar e possibilitando que vários temas relacionados a diferentes áreas do conhecimento sejam desenvolvidos a partir dela. Ensinar astrono mia nas séries iniciais da educação ajuda a criança a entender e respeitar nossa posição no planeta e no universo.

Todo mundo sabe que a Terra tem sua Lua, mas muitos desconhecem que outros seis planetas do Sistema Solar – Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão – também têm seus satélites, que, como a nossa conhecida Lua, são corpos celestes que giram ao seu redor. De todos os planetas, o que mais tem luas é Saturno. Ao redor de Júpiter, orbitam 79 corpos celestes. Já Saturno tem 82 luas.

(Informação retirada daqui: https://jornal.usp.br/atualidades/com-novas-luas-descobertas-saturno-totaliza-82-e-ultrapassa-jupiter/)

O universo, na representação dos antigos

Ilustração: Milton Rodrigues AlvesUm ovo com a Terra no meio: assim era o  universo para os chineses, antes da era cristã Ilustração: Milton Rodrigues Alves

Para os babilônios, a Terra era um barco virado no mar e o céu, pedra preciosa.

Ilustração: Milton Rodrigues AlvesOs egípcios acreditavam que o universo era uma caixa e o Sol viajava em um barco

 

Ilustração: Milton Rodrigues AlvesA Terra era um disco dentro de um rio para os gregos e o Sol era puxado por carruagem Ilustração: Milton Rodrigues AlvesPara algumas tribos africanas, o universo era uma cabaça, com as metades unidas por uma serpente Ilustração: Milton Rodrigues AlvesNa tribo dos jurunas, quem iluminava o dia eram os filhos de Kuandú, o deus Sol, quando saiam de casa

Dica de leitura para Professores

30 conceitos essenciais para crianças
30 conceitos essenciais para crianças

30 conceitos essenciais para crianças

Uma divertida introdução ao universo da ciência, esse livro explora 30 descobertas e teorias fundamentais do pensamento científico. A obra aborda seis períodos:

  • Grécia Antiga;
  • A Revolução Científica;
  • Era da Razão;
  • Indústria Moderna;
  • Ciência Moderna;
  • Ciência Atual –, introduzidos por um glossário.

Cada página traz um tópico diferente com a apresentação dos fatos principais, o “Resumo em 3 segundos” e a “Missão de 3 minutos”.

Autor: Mike Goldsmith – Editora: Publifolhinha – Preço médio em 21/10/2019: R$ 31,00

O livro de ciências mais explosivo do universo: Por Ideias-Brilhantes
O livro de ciências mais explosivo do universo: Por Ideias-Brilhantes

O livro de ciências mais explosivo do universo: Por Ideias-Brilhantes

Seja passeando pela tabela periódica, seja entrando em um restaurante no qual as reações químicas estão no menu, neste livro, repleto de informações curiosas e ilustrações originais, os leitores aprendem sobre os mais importantes temas da química e da física de maneira divertida. Este livro traz a resposta para muitas perguntas.

Em grandes páginas ilustradas repletas de quadros informativos e originais, o leitor participará de uma espetacular investigação das ciências que estudam como o homem, o mundo e o universo foram criados e funcionam.

Autora: Claire Watts    –    Editora: Companhia das Letrinhas

Preço médio em 21/10/2019:: R$ 44,00

Matéria retirada e adaptada da revista Guia Prático de Educação Infantil.

Veja também!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.