Atividades para trabalhar o Folclore na Educação Infantil

Nesta postagem sobre o Folclore brasileiro, você encontra algumas das imensas possibilidades de como trabalhar com esse tema na Educação Infantil.

A construção de um povo se faz, entre tantas coisas, pela formação de uma língua, crenças, danças, costumes, comidas típicas, provérbios, músicas etc. Todas essas manifestações são passadas de geração em geração e tornam-se representações  únicas de uma comunidade e sociedade.

Conhecer, valorizar e vivenciar esses acontecimentos do folclore é conhecer a si mesmo, criar uma identidade e iniciar um processo de compreensão e crítica social.
O folclore não deve deixar de ser vivenciado e repassado. As intervenções de outras culturas surgem, mas compreender as raízes que formam a nossa identidade social é o primeiro passo para evoluirmos. Viva o Folclore, a cultura popular!

Você sabia?

A palavra “folclore” tem origem no Inglês, em que “folklore” significa sabedoria popular. O vocábulo é formado pela junção de folk (povo) e lore (sabedoria ou conhecimento)

Passo a passo, projetos, dança e cantoria, comemorar as tradições da cultura popular traz um universo imenso de aprendizados. De geração em geração, os costumes vão se passando até se transformarem em tradição, mais conhecida como folclore. Não há um povo que não tenha suas crenças, costumes, lendas, contos que se manifestam e danças, religiões, comida, vestuário, brincadeiras e idioma. Conhecer tudo isso é conhecer a própria cultura e identidade social. Por isso, comemorar o folclore é tão importante no dia 22 de agosto, Dia do Folclore!

As escolas são essenciais em transmitir esse conhecimento que, muitas vezes, tem se perdido na sociedade moderna e atual, deixando de ser passado pelas novas gerações, mesmo que a título de
conhecimento.

O folclore é um espelho de um povo e, mesmo que pareça fantasioso, é baseado em vivências reais de uma sociedade. Sendo o folclore brasileiro tão rico,  isso permite ao professor ter um recurso pedagógico imenso para trabalhar com o tema.

Atividades para trabalhar o Folclore Brasileiro na Educação Infantil

Veja algumas das possibilidades educativas de trabalho com o folclore na Educação Infantil abaixo:

Construindo personagens do Folclore Brasileiro

Que tal fantasiar seus alunos com os mais diversos personagens do folclore brasileiro e, nesse momento, trabalhar as características de cada um deles, as histórias pelas quais eles passam e, depois, criar uma dança ou mesmo um teatro usando esses personagens? Veja como reproduzi-los:

Crianças brincando com o Boitatá que acende

1 – BOITATÁ QUE ACENDE

Materiais Necessários:

  • 4 garrafas de 2 litros
  • Tesoura
  • Estilete
  • Ferro de solda ou prego quente
  • Pisca-pisca
  • E.V.A. nas cores laranja, amarelo e vermelho (TRUPE E.V.A.)
  • Cola instantânea
  • Lacre (enforca gato)

 Como fazer o Boitatá que acende:

1. Lave bem as garrafas, tire os rótulos e corte o fundo de duas delas.
2. Corte também os bicos.
3. Em uma delas, arredonde para formar a boca. Corte as outras duas retirando o fundo e a parte de cima, deixe só o meio da garrafa.
4. Com o ferro de solda, faça dois furos laterais na base das duas primeiras garrafas e, nas outras duas, faça quatro furos.
5. Una uma garrafa à outra pelos furos com os lacres, deixando um pouco frouxo para que a cobra tenha movimento.
6. No E.V.A., recorte as partes do Boitatá seguindo o molde.
7. Decore o Boitatá fixando os recortes com a cola instantânea.
8. Coloque o pisca–pisca dentro da cobra e deixe a tomada para fora para poder ligar.
9. Ligue o pisca–pisca para simular o fogo do Boitatá.

2 – PÉ DE CURUPIRA

Materiais necessários: 

  • 2 garrafas PET
  • Jornal
  • Cola branca
  • Fita crepe
  • Pincel
  • Tinta guache cor da pele e marrom
  • E.V.A. branco (TRUPE E.V.A.)
  • Papel higiênico
  • Tesoura
  • Estilete
  • Cola instantânea

COMO FAZER O PÉ DE CURUPIRA:

1. Com o estilete, retire o gargalo das garrafas.
2. Faça um orifício em cima do tamanho que a criança consiga introduzir o pé dentro das garrafas e não saia ao andar, neste caso, fizemos um retângulo de 8 cm x 10 cm.
3. Faça cinco bolinhas de jornal (uma maior e quatro menores) simulando os dedos dos pés.

4. Encape cada uma com fita crepe para ficar bem redondinha e prenda-as na ponta da garrafa de maneira que pareça um pé.
5. Feche o orifício feito ao retirar o gargalo com a fita crepe.
6. Utilize a técnica da papietagem para forrar os pés, para isso, dilua a cola branca com um pouquinho de água, corte pedacinhos de jornal e cole sobre toda a garrafa, inclusive sobre os dedos, usando a cola branca. Deixe secar.

7. Utilizando a mesma cola, cole pedacinhos de papel higiênico sobre o jornal.
8. Pinte os pés usando tinta guache cor da pele com um pouquinho de marrom para fazer uma pele mais morena. Deixe secar.
9. Corte unhas no E.V.A. branco e fixe sobre os dedos usando a cola instantânea.

3 – SACI FANTOCHE DE ROLINHO DE PAPEL HIGIÊNICO

Materiais:

  • Rolinhos de papel higiênico
  • E.V.A. marrom, vermelho e preto (TRUPE E.V.A.)
  • Cola quente
  • Olhos móveis
  • Palito de churrasco
  • Durex vermelho

1. No E.V.A., recorte todas as peças do Saci seguindo o molde.
2. Com a cola quente, fixe todas as peças e os olhos móveis, montando o Saci.
3. Para fazer a touca, dobre o E.V.A. para o lado, junte a borda e cole.
4. Encape o palito de churrasco com o durex vermelho.
5. Fixe-o dentro do rolinho.

4 – Máscara de Boi-Bumbá

Materiais Necessários:

  • Galão de água sanitária
  • Estilete
  • Tesoura
  • Cola quente
  • Retalhos de E.V.A. lisos e estampados, várias cores (TRUPE E.V.A.)
  • Fitas coloridas

1. Retire o fundo do galão e desenhe os chifres e orelhas seguindo o molde.
2. Recorte e arredonde a parte detrás para que encaixe na testa da criança.
3. Recorte vários pedaços de fitas coloridas e faça dois montinhos.
4. Usando o E.V.A., encape a tampa, será o focinho.
5. Recorte todas as peças de E.V.A. seguindo o molde e decore o Boi Bumbá, cole também as fitas nas orelhas.

Fonte: Guia Prático para Professores de Educação Infantil