Atividades de Alfabetização Divertida

Inicie a aprendizagem da leitura e da escrita brincando com esses exemplos de Atividades de Alfabetização Divertida!

A alfabetização na Educação Infantil é iniciada, muitas vezes, sem a criança perceber que um trabalho por trás está sendo evidenciado. Esse tipo de atividade é feita por meio de uma brincadeira, em que a criança aprende se divertindo.

Segundo Bianca Acampora, especialista em Dificuldades de Aprendizagem e autora do livro Psicopedagogia Clínica – O Despertar das Potencialidades, a alfabetização na Educação deve ser trabalhada de forma lúdica porque quando as crianças brincam com a sonoridade das palavras, reconhecem as diferenças das letras, manuseiam livros infantis e ouvem histórias estão se preparando para ler, formular conceitos, ampliar a linguagem e gradativamente produzir textos.

Sendo assim, tais conceitos devem ser trabalhados por meio de jogos de descobertas, como desenhar, rabiscar, representar, dançar, escrever, encontrar sons, formas etc.

Bianca explica que a alfabetização está presente na vida da criança em todos os ambientes. Seja em casa, manuseando as letras do teclado do computador, com a linguagem escrita na escola ou convivendo com adultos alfabetizados. “Alfabetizar na Educação Infantil é oportunizar atividades lúdicas. É ensiná-los a perceber como se desenha as letras, a encontrar sons e desenhos de letras
iguais e os espaços que eles ocupam nas palavras”, diz ela.

Objetivos das Atividades de Alfabetização Divertida

  • Desenvolver a psicomotricidade;
  • Trabalhar a coordenação motora, a estratégia e o senso espacial.

Faixa etária: a partir de 3 anos

Atividades de Alfabetização Divertida

Veja as sugestões abaixo:

1 – AS ÁRVORES SABIDAS

Objetivos:

  • Reconhecer unidades fonológicas ou segmentos sonoros, como rimas, sílabas (em diversas posições) e aliterações (repetições de fonemas em palavras);
  • Dominar as relações entre grafemas e fonemas;
  • Descobrir novas palavras;
  • Desenvolver a escrita;
  • Compreender a função da segmentação dos espaços em branco.

Materiais:

  • Fichas com sílabas e palavras simples
  • Árvores de E.V.A. ou cartolina
  • Frutas redondas de Eva ou cartolina.

Como fazer:
Os alunos deverão ler fichas com sílabas e palavras simples. Cada sílaba lida corretamente dará uma fruta para sua árvore e cada palavra que o aluno ler corretamente ganhará duas frutas. Na escrita, se o aluno escrever uma sílaba ou palavra simples corretamente ganhará três frutas. Vence quem tiver mais frutas em sua árvore

Palavras-chave: Alfabetização, Atividades de Alfabetização, Brincadeiras de Alfabetização, Atividades para Educação Infantil.

Dica esperta! Na atividade “As árvores sabidas”, o professor poderá adaptar a atividade de acordo com a necessidade e seus alunos.

2 – BRINCADEIRA: BATATA QUENTE

Objetivos:
Desenvolver a atenção e a percepção auditiva;
Reconhecer as letras, relacionando grafemas e fonemas;
Diferenciar letras de outros sinais gráficos.

Materiais:
Fichas de leitura (sílabas móveis, palavras, frases e provérbios populares) de acordo com o nível de cada aluno.
Uma bola ou confeccionar uma batata “quente” de saco de TNT preenchida com espuma, acrilon, tecidos etc., e enfeitada com cabelo, olhos, nariz e boca.

Como fazer: Ao som de uma música, a batata quente deverá passar de mão em mão. Quando a música parar, o aluno que estiver com a batata na mão deverá retirar uma ficha de leitura (sílabas móveis, palavras, frases e provérbios populares) de acordo com o nível de cada aluno.

3 – BRINCANDO DE ACHAR LETRAS

Objetivos:

  • Identificar as letras de seus nomes e do nome da professora;
  • Observar qual a letra que mais apareceu, a que menos apareceu, o maior nome, o menor nome;
  • Classificar as palavras colocando-as em ordem alfabética.

Materiais:

  • Letras do alfabeto coladas nas tampinhas de refrigerante;
  • Argolas de plástico ou de E.V.A.;
  • Alfabeto móvel.

Como fazer: Os alunos formarão seus nomes com o alfabeto móvel. Em seguida, cada um deverá colocar uma argola em cada letra de seu nome. No final, será possível observar quais letras foram mais utilizadas, quais menos aparecem nos nomes, letra inicial e final das palavras, nomes maiores e menores.

4 – CAIXA MÁGICA

Objetivos:

  • Desenvolver a percepção tátil;
  • Reconhecer as letras relacionando grafemas e fonemas.

Materiais:

Caixa de papelão enfeitada com um buraco semiaberto no meio para as crianças colocarem a mão.
Letras do alfabeto em uma formato que possibilite aos alunos manusearem e perceberem tatilmente cada letra.

Como fazer: Dispor os alunos em círculo. Fornecer lápis e papel para cada um. Passar a caixa mágica para cada um dos alunos do círculo, que irá colocar a mão dentro dela e tentar perceber qual a letra que ele está tateando. Falar em voz alta qual a letra que ele acha que é. Em seguida, retirar a letra da caixa e verificar se corresponde à que ele falou. Registrar no papel a letra que tirou, relacionando grafema e fonema.

5 – PULANDO AS LETRAS DO ALFABETO COM BAMBOLÊS

O Colégio Itatiaia também trabalha diversas atividades lúdicas com seus alunos, veja algumas sugestões da Angélica Maria dos Santos, educadora da turma do Jardim:

Objetivos:

  • Reconhecer as letras do alfabeto;
  • Desenvolver a coordenação motora ampla, o esquema corporal;
  • Estimular a orientação espacial e temporal;
  • Ampliar o equilíbrio, a lateralidade;
  • Melhorar o tônus muscular.

Materiais:

  • 26 bambolês coloridos;
  • Placas com as letras do alfabeto.

Como fazer: Espalhar pelo parque 26 bambolês e, em cada um, escrever uma letra do alfabeto. Depois, peça para que uma criança vá pulando bambolê por bambolê e dizendo a letra que está em cada um deles.

   6 – PESCANDO AS SÍLABAS

Objetivos:

  • Fazer com que a criança se familiarize com as letras e sílabas e desafiá-la a construir palavras;
  • Trabalhar a coordenação motora;
  • Exercitar o trabalho em equipe.

Materiais:

  • Cartolinas
  • Canetinhas coloridas
  • Varas de anzol

Como fazer: Desenhe no chão um grande círculo com formato oval que pareça um lago. Dentro desse círculo, coloque as placas com as sílabas simples, depois, com varas de anzol (podem ser  improvisadas), peça para que as crianças pesquem uma sílaba e faça a leitura dela.
Após a leitura, pesque outra sílaba para formar uma palavra.

7 – JOGO DAS ABELHINHAS

Objetivos:

Desenvolver a consciência fonológica e o reconhecimento das letras do alfabeto;
Estimular a atenção.

Materiais:

  • Letras do alfabeto coladas em abelhinhas de E.V.A.;
  • mão de E.V.A. colada em um palito de churrasco.

Como fazer: Dividir a turmas em grupos de quatro alunos. Confeccionar a quantidade de jogos de acordo com a quantidade de alunos da turma dividida por quatro (exemplo: 20 alunos ÷ 4 = 5 jogos). Dispor as abelhinhas com as letras colocadas de face para baixo.
O jogo irá rodar no sentido horário, passando a mão de E.V.A. adiante. Cada componente do grupo irá tirar na sua vez uma abelhinha, virando-a de cabeça para cima. De posse da mão, irá bater na letra ao falar corretamente seu som. Se acertar, pega a abelhinha para si. Caso não acerte, passa a mão para o colega ao seu lado e continua o jogo. Ganha quem tiver mais abelhinhas no final.

O que pensar antes de preparar suas atividades de Alfabetização?

1. Pense em quais competências e habilidades devem ser desenvolvidas para trabalhar as atividades lúdicas, incluindo-a em seu planejamento. Uma boa base teórica é imprescindível ao utilizar o lúdico como recurso de ensino-aprendizagem, pois todo jogo ou brincadeira tem um objetivo latente.

2. Busque formas de tornar o ensino mais atrativo e uma das alternativas é aliar o prazer e o divertimento à aprendizagem, integrando o prazer e o aprender, o saber e o fazer.

3. Esteja comprometido com o desenvolvimento da criança e compreenda as suas necessidades de correr, brincar, jogar, expandir-se em vez de se tornar prisioneira por várias horas – com certeza, terá uma criança alegre e feliz. A escola deve aproveitar todas as manifestações de alegria da criança e canalizá-las emocionalmente por meio das atividades lúdicas educativas que, quando bem direcionadas, trazem benefícios à aprendizagem.

4. Tenha consciência de que o jogo fornece informações a respeito da criança, suas emoções, a forma de interagir com seus colegas, seu desempenho físico-motor, seu estágio de desenvolvimento, seu nível linguístico e sua formação moral. Divertindo-se, a criança aprende a se relacionar com os colegas e a descobrir o mundo à sua volta.

5. Leve em conta se a faixa etária do aluno condiz com o jogo que está propondo. Deve pensar também em estratégias de incluir todos os alunos no processo. Cada atividade deve ser articulada com outras para que a aprendizagem se dê progressivamente.
Assim, ao incluir no planejamento uma atividade lúdica, o professor deve adequar o tipo de jogo ou outra atividade lúdica ao seu público e ao conteúdo a ser trabalhado, para que os resultados sejam satisfatórios e alcance os objetivos propostos.

-> FAIXA ETÁRIA: Em relação à faixa etária que a alfabetização deve ser trabalhada ludicamente, de acordo com a legislação em vigor, a Educação Infantil vai até os 5 anos de idade. Depois, a criança entra no segmento do Ensino Fundamental. Entretanto, ao ingressar nesse segmento, a alfabetização lúdica não deve ser descartada. Pelo contrário, segundo o Pacto Nacional de Alfabetização na Idade Certa – PNAIC, a meta é alfabetizar todas as crianças até 8 anos de idade, ou seja até o 3º ano do Ensino Fundamental. Então, pelo menos até os 8 anos de idade deve ser trabalhada com a criança a alfabetização de forma lúdica, com jogos e brincadeira que partam do concreto.